devaneios

Porque eu @sumi das redes sociais

Bom, se você me segue por aí, já deve ter notado que eu não posto nada desde o começo do ano. Um baita tempo se tratando de redes sociais onde a maior parte das pessoas  postam, no mínimo, uma coisa por dia.

Eu fui perdendo a vontade de postar assim que voltei do Brasil. Final de janeiro, aquele baita inverno típico sueco de -15ºC lá fora e a escuridão. A verdade é que eu entrei numa deprê profunda e parece que estou saindo dela agora, tipo, em setembro. O mais engraçado é que ela me pegou de surpresa (já fazia um bom tempo que ela não dava as caras e eu já estava dando grazadeos de ela ter me esquecido..). Eu poderia muito bem ter postado as fotos lyndas que tirei e ter feito parecer, no mundo digital, que tudo estava bem (ou também poderia ter transformado as minhas coisas no muro das lamentações..). Mas para a minha saúde mental, eu preferi ficar na minha. Eu, quando não tô legal, prefiro ficar quietinha no meu canto.

É estranho dizer isso mas, apesar de já terem feito 6 anos que estou morando aqui na Suécia, a ficha de ter mudado de país não caiu assim de repente. Ela foi caindo aos poucos, e agora depois de todo esse tempo, acho que eu senti na pele mais do que nunca essa decisão que tomei na minha vida. No começo, eu sabia que sair do Brasil seria algo grande mas não sabia o quão desafiador seria. Isso sem contar em todas as coisas que eu vivi nesses últimos 6 anos.. Mas enfim, pra mim, é muito sofrido essa coisa de voltar pra cá toda vez que passo uma temporada no Brasil. É tudo muito intenso. Reencontrar a família, os amigos, viajar para cima e para baixo e no final ter que se despedir (mais uma vez!) de tudo e de todos e voltar para a minha vida no outro lado do mundo. Posso dizer que vivo fazendo planos mirabolantes na minha cabeça em como solucionar essa equação rs.

Eu não sei lidar com a saudade e ponto.

Tá, tudo bem. Essa foi a primeira parte da história. Esse ano, sem brincadeira, acho que está sendo um dos mais difíceis mas também um dos que mais estão me fazendo crescer. 2019, o ano regido por Marte, só tretas.

É interessante dizer que, só depois que me mudei pra cá é que eu comecei a sentir uma coneção maior com o Brasil e os laços com a minha família ficaram ainda mais fortes. Eu sempre tinha sido um tanto desapegada com tudo. Eu só queria viajar, viajar e viajar. Até eu ter vindo parar aqui rs. (Ainda quero viajar porque não morri, haha mas só queria que a Suécia e o Brasil estivessem um pouquinho só mais perto..)

Só sei que este ano tive muitas glórias e perdas, perdas gigantescas. Isso tudo, uma coisa seguindo a outra, sem pausa nem para respirar  e retomar o fôlego. Só para se ter ideia, bem no dia em que eu estava preparando as coisas para a festa de 5 anos do Benja, meu bisa se foi. Eu não pude parar as coisas para a festa, afinal ela dependia de mim, então continuei.. continuei aos soluços, mas continuei.

Meu verão foi super turbulento, eu pensei que fosse ter um treco (mas as fotos para o Instagram saíram otchymas). Gente, não queriam ser geminiana, com ascendente em câncer e lua em capricórnio com depressão. Real, ninguém merece. É tipo, ter dupla personalidade, neuras de perfeccionismo e drama pra quase tudo. As vezes, nem eu me aguento. Então acho que poupei muita gente aí ter ficado quietinha no meu canto durante esse tempo.. ou não. Ah, sei lá, a gente não precisa saber de tudo a toda hora não (olha o monólogo interno dando as caras aí, gente).

Meus pais e a minha avó vieram me visitar por duas semanas aqui. Uns dias antes de eles embarcarem, perdemos meu primo muito querido. Foi f&%¨!

Aí eles voltaram no começo dessa semana para o Brasil e, um dia depois, meu tio avô faleceu (irmão da minha avó que estava aqui comigo).Por conta disso tudo, a minha família está bem desnorteada. É estranho estar longe nessas horas, é como se eu estivesse vivendo em um mundo paralelo. Eu tenho a sorte de ter uma família bem grande e unida lá no Brasil. Que quando um se junta com o outro, já chama mais um que vem com outro e quando vemos um simples café da tarde já vira uma festa que já se extende para o jantar. Sempre foi assim, e agora vai ser estranho voltar pra lá e ver que alguns já não estarão mais com a gente.. Mas vida que segue e as boas lembranças que ficam.

Bom, aos pouquinhos, vou voltando por aqui.. que nesse limbo de sentimentos misturados, eu também tenho muita coisa que quero compartilhar por aqui.

Fiquem bem e vão pela sombra! ❤️

%d blogueiros gostam disto: