Browsing Tag:

hospedagem romênia

viagem

A Romênia além Drácula: o lado verde do delta do Danúbio

Sempre quando se fala em Romênia vem a nossa cabeça a imagem do Drácula chupinhando pessoas. Tanto é que quando fui convidada para participar do #experienceRomania  logo pensei que iríamos para a Transilvânia. Mas acabamos cruzando o país para explorar outras regiões, incluindo o delta do Danúbio e o lado festeiro da costa do Mar Negro.

Fazia tempo que eu não escrevia aqui no blog sobre viagens, então vamos fazer jus ao nome! 🙂

Foi a minha primeira press trip da vida e eu fiquei tão feliz de ser sido selecionada para participar junto com outros 40 #blogayros, fotógrafos e jornalistas from all over the world. É o tipo de viagem em que todo mundo tira foto da comida antes de comer.

A nossa viagem começou em Viena porque de Estocolmo não tem nenhum voo direto para Bucareste (a não ser Ryanair mas a gente não estava muito afim de perrengue). Me arrependi de ter ido já com a passagem de volta marcada porque queria ter ficado muito mais tempo em Bucareste e ter dado uma esticada na Transilvânia mas fica para a próxima.

Para fazer essa viagem tem que estar preparado para andar de barco o tempo todo e sempre ter uma garrafinha de água e uns snacks se você também tem uma solitária na barriga que nem eu.

Como chegar:

Nós pegamos um ônibus de 5 horas partindo de Bucareste e um barco de aproximadamente 1 hora até uma cidadezinha já no delta do Danúbio: Crişan. Era mais um stop over lá para a viagem não ficar muito longa. Nós ficamos hospedados no Sunrise Hotel, um hotel bem gostosinho. Foi um lugar muito simpático com direito a apresentação das danças tradicionais da região durante o jantar.

Pareciam umas bonequinhas. Juro que quis levar uma pra casa.

 

Onde o Danúbio encontra o Mar Negro

No dia seguinte pegamos um outro barco de 1 hora e meia aprox. para chegar em Sfântu Georghe, na região de Tulcea que por sinal fica colado na divisa com a Ucrânia. Essa cidade é super pequena e tem por volta de mil habitantes. Eu simplesmente amei essa região que me deu muito aquele feeling de cidadezinha de interior onde a vida passa devagar.

 

 

Dessa vez ficamos hospedados no Green Village Hotel , um lugar maravilhoso que quando eu ficar ryca com certeza irei voltar! Eles oferecem aulas de yoga, as camas são de bambu, as vilas são tipo casa do Tarzan e Jane 5 estrelas. A noite a gente dorme com uma sinfonia de sapos na lagoa e de dia para chegar no restaurante para tomar café temos que dar passagem para as vacas. É um lugar perfeito se você quer dar aquela desligada do mundo lá fora, se conectar com a natureza, dar um relax. A 15 minutos andando do hotel fica uma prainha onde o Danúbio desemboca no mar Negro.

 

 

detalhe do teto de uma igrejinha de Sfantu Georghe

 

No hotel é possível alugar barcos com um guia para fazer passeios pelo Delta. Em Sfântu Georghe tem que ter permissão para poder entrar por conta de ser considerada património da Humanidade pela UNESCO. É um lugar perfeito para quem gosta de observar pássaros. Eu vi o primeiro pelicano da minha vida ao vivo e a cores, livre, leve e solto. ❤️

parece quase uma Amazônia hehe

Floresta de Tulcea

Pelas redondezas do hotel dá para fazer uma caminhada pela cidadezinha que tem ali ou pegar um barco para chegar até a floresta de Tulcea que há 400 anos atrás costumava ser o mar e pertencia ao Império Otomano (também sou cultura, gente). Lá ainda se podem ver cavalos selvagens e no chão nasce uma plantinha alucinógena.

a caminho da floresta

 

Antes de ir:

Quem tem passaporte brasileiro não precisa de visto e pode permanecer até 90 dias. A moeda local não é o euro e sim lei. As coisas no geral são bem mais baratas se comparadas com o resto da zooropa. Levar repelente é indispensável a não ser que você queria voltar cheio de lembranças pelo corpo todo 🙂
O povo romeno tem uma coisa especial, não sei. Eu senti uma vibe muito ancestral visitando essas áreas. Talvez eu tenha sido uma camponesinha lá em outras vidas.

Vegetarianos e veganos: Eles comem muita carne, pimentão e pepino. Foi meio sofrido conseguir comer direito, as vezes só me traziam salada como prato principal. E não é todo mundo que fala/entende inglês. Então a minha dica é leve nuts, um pó protéico, algo que vá te nutrir para não ficar com deficiência de proteínas.

Espero que você tenha curtido ler sobre essa mini aventura.  A gente se vê em breve! 😘