Browsing Tag:

ikea

decor Suécia

Sobre a história da Ikea, o cara que fez do limão uma caipirinha

Para quem não conhece Ikea é tipo uma casas Bahia sueca que existe no resto do mundo menos no Brasil. Ela é um bagulho fenomenal.

Nós podemos comparar o seu estilo com o das lojas Etna e Tok Stok – elas obviamente foram inspiradas na Ikea porém não são tão acessíveis quanto.

A IKEA foi criada no final da década de 50 quando o dono da cocada preta Ingvar Kamprad tinha só 17 aninhos já com um instinto de dominar o mundo.
Antes de fundar a Ikea, Ingvar já tinha o espírito empreendedor. Ele começou vendendo selos até que evoluiu para a venda de móveis. Aí ele viu que o negócio começou a crescer e resolveu fazer um armazém. Aí um belo dia ele decidiu fazer daquele armazém sua loja só que com uma ideia brilhante que virou o carro chefe da Ikea: os clientes iam direto no estoque aberto e pegavam os produtos que queriam adquirir. É o famoso ta det själv, “pegue você mesmo”. Isso facilitou a vida de muita gente porque não era necessário ter que ficar esperando uma cota para ter o produto entregue em casa. Até hoje é assim quando a gente compra em alguma outra loja aqui. Por exemplo, para comprar um sofá a gente tem que esperar por volta de 3 meses. Então além de o cliente ser responsável pelo transporte do produto ele também é quem faz a montagem do mesmo. Eu adoro fazer isso. É tipo um quebra cabeças versão adulto.

ikea-1Além da ideia do ta det själv, o que também a tornou popular foram os preços bem acessíveis dos produtos. E olha não tem que não se apaixone pelas coisas de lá. O design é maravilhoso e super funcional. Eles pensaram em tu-do. Eles vendem desde cozinhas planejadas, eletrodomésticos, móveis, brinquedos e até tem uma linha de alimentos chamada Ikea food. E é tudo muito manjado porque as lojas são gigantes, e eles sabem que nós vamos passar o dia lá lucycrazy namorando todos os produtos, enfrentando fila, cruzando o tráfico de carrinhos de compras, etc., que eles até bolaram um restaurante com comida típica sueca. Esse cardápio é valido em todas as lojas do planeta. Em todas eles servem a mesma coisa: almôndegas, purê de batatas e geleia de lingonberries (frutas silvestres típicas daqui). E ah, tem até um lugar em que os pais podem deixar os filhos acima de 3 anos para brincarem enquanto fazem compras.

E o nome dos produtos são todos em sueco, all over the world. Eu não sabia disso e achei sacanagem porque não é muito fácil pronunciar e lembrar os nomes para quem não fala a língua.

Obviamente que o Ingvar tornou-se uma das pessoas mais podres de rica do planeta. Sente só, ele é apenas o cara mais rico da Suíça (sim, ele é sueco mas mora lá).  Para se ter ideia ele é obviamente o dono da Ikea mas também do maior banco da Suécia, o Ikano.

Com certeza, uma outra coisa que ajudou muito no sucesso da Ikea foi o fato do Ingvar ter tido a brilhante ideia de trabalhar cada dia em um setor diferente da loja para ver o que poderia ser melhorado em cada um deles. Então, tipo, um dia ele era caixa, no outro era quem checava o estoque, etc. Ele sempre foi pau para toda obra. E apesar de ele ter rios de dinheiro, ele continua levando uma vida em uma casa modesta e tem o mesmo carro há um bom tempo (obviamente é um Volvo, aquele modelo clássico que cabe a família toda e uns móveis da Ikea atravessados no meio).

Até saiu uma reportagem no jornal inglês Daily Mail dizendo que ele barganha até no preço do mercadinho da esquina da casa dele. Modesto ou tio patinhas, nunca saberemos.

Um outro fato interessante é que a impressão anual do catálogo da Ikea supera a da Bíblia (que é o livro mais impresso do mundo).

E agora eles acabaram de lançar uma coleção inspirada nas cores do Brasil. Eu só achei que eles deveriam ter explorado mais a nossa palheta de cores e formas!

 

Se eu conseguir um emprego como designer lá dentro já tá MIR de bom!

E ah, uma coisa é certa: só volto para o Brasil quando tiver IKEA!

decor

(De)coração 

 Hi, pipol

Esta semana a gente termina de pintar as paredes da sala, grazadeos. É que tem tanta coisa pra fazer e a gente acaba dando passos de tartaruga manca! haha

A gente resolveu só passar tinta branca dessa vez. O teto da sala é uma madeira escura que não me representa. E ele também é baixo então quando a gente pintá-lo de branco vai dar a impressão de ser mais alto. Mas só vamos poder fazer isso quando comprarmos a casa. Minha ideia era colocar papel de parede mas acho que ia ficar muita informação com o teto de madeira. Como aqui na Suécia temos poucos meses de luz é super importante que os cômodos da casa sejam bem iluminados e claros. Isso influencia muito o meu humor 🙂 Por mim eu deixo tudo branquinho. Acho tudo branco léndjo demais!
A sala é bem espaçosa, tem 25m2.

Eu sou uma ratinha de Instagram e Pinterest quando o assunto é decoração. E daí que vou dividir com vocês as coisas que eu me apaixonei e vou usar de inspiração para a nossa sala.


Essa é a praça mais conhecida de Estolcomo; a Sergels Torg (sérguels tóri). E a Ikea lançou um tapete com o mesmo padrão de triângulos dela. Eu quando vi agarrei e não soltei mais! E o tapete é gigantesco.

IMG_1352 IMG_1453 IMG_1489

Eu penso em ter um sofá monstro com uns três lugares e uma poltrona.

IMG_3396 IMG_3398

Acho que a nossa sala vai ser um pouco moderninha, retrô, boêmia e berçário!

No Brasil, o Benji desenterrou todas as plantas da minha mãe. Então fica meio que impossível ter plantas no chão em casa e a solução irá ser esses vasinhos pendurados no teto! Acho essencial ter plantas dentro de casa. Nem que elas não sejam de verdade mas elas deixam o ambiente mais alegre, com vida. Dá um ar a mais de que tem gente morando ali.

layout_tents

E é obvio que a gente não vai poder esquecer de fazer um puxadinho pro Benji também 😉

a75098f8522301955880b3121e21dd09

Outro dia eu vi em uma revista de decoração esse bercinho dependurado no meio da sala! Pena que o benji já não é mais titiquinho pra ter um desses. Mas achei muito demais.

Acho que é mais ou menos isso!

Aceito sugestões! Assim que as paredes estiverem pintadas e as luzes instaladas (não temos luz na sala, vivemos no século 12!) eu boto umas fotos aqui pra mostrar como ficou 🙂

hej då

 

bêbe & cia decor

Hipsterismos: quarto do Benjamin 

Considerando que só fui ter o meu quarto quando eu tinha uns 13 anos, o benji não demorou tanto pra ter o cantinho dele aos 3 meses..

O quarto que ia ser dele estava com um papel de parede muito velho e todo manchado. Eu e o Alexander botamos a mão na massa e arrancamos tudo, lavamos as paredes, pintamos e escolhemos o papel. Levando em conta que toda vez eu tinha que parar a obra para atender às necessidades da chefia, entenda-se: Benjamin.

Foram umas duas semanas até que as paredes estivessem nos trinques. Foi trabalho intenso a nível de navio de cruzeiro em época de carnaval hehe

E com vocês o quarto da quiança:

E daí quando terminamos tudo, o quarto dele ficou parecendo um oásis na casa. Ficou lendjo demais!

Acredite ou não, mas o berço do Jocks era do Alexander. E ele tá perfeito, no estrado tem até registrado a mão quantos kilos e o dia que o Alex nasceu.

Esse pôster fofis o Alex que me deu uma vez, quando eu era apaixonada pela Suécia (tem louco pra tudo nessa vida..) Bom, tirando o berço, o restante dos  móveis a gente comprou de segunda mão.

 

Esse guarda roupas foi um trampo para buscá-lo! Tivemos que botar no teto do nosso carro.

 

 

Essa prateleira é o que eles chamam aqui de “stringhylla” (string de Nils Strinning, que foi o cara quem fez) e é um clássico do design escandinavo. Ela estava lá jogadora no depósito da minha sogra. Eu daí resolvi trazê-las de volta a vida 😉 E pra se ver como a Suécia é uma roça mesmo, esse tal Strinning foi o avô de um amigo do Alexander na escola.

Eu fiquei tão mas tão feliz quando pude achar esse papel de parede. Já tinha visto alguma vez, em algum canto  no buraco negro da internet. Ai descobri que o cara que fez também é sueco. Pra quem quiser saber o nome é Mr Perswall. Eu pedi pela internet e chegou dentro de uma semana. Eles fazem sob medida. Tem vários modelos. E é bem fácil de aplicar, só a última parte que tivemos que cortá-la porque veio maior. Eu queria alguma coisa que não fosse tão bebê, que durasse até o benjocs crescer um pouco e começar a trazer as gatinhas pro quarto dele.. ;p (mas acho que o papel de parede não sobrevive até lá, vai ter aquela fase em que ele vai brincar de ser Picasso pelas paredes da casa..)

O papel é super alegre e fofo. Seria legal de usar pins e colocar fotinhas do benji pelos lugares que ele for passando (e principalmente marcar aonde fica Itapetininga no mapa! hehe) . O teto pintamos de branco e as outras paredes num azulzinho calcinha, tudo pra dar um up, considerando que passamos a maior parte do ano na escuridão aqui.

A “vasta” coleção de livrinhos do benji já é em português, inglês, sueco e polonês. Mas ele ainda continua se comunicando através da língua universal dos bebês: o choro.

Nós mal terminamos de montar tudo e já vamos ter que trocar várias coisas. Quarto de criança é o cômodo que mais passa por mudanças na casa. O Benjamin já tá quase escalando o berço, ele não pára mais no trocador.. Agora o próximo passo é organizar o quarto bem acessível ao dono dele, o bebê. A gente sempre projeta as coisas para os adultos.. E eu nem tinha me ligado disso. To doida pra fazer o método montessoriano. Botar o colchão no chão, espalhar uns brinquedos ali, deixar tudo ao alcance do mãozinha Addams ?

 

Bom, espero que tenham gostado! <3